Saiba como escapar do Facebook Messenger


Postado em: 2014-08-15 11:56:45
Publicidade

O Facebook tem forçado os usuários a instalar seu aplicativo Messenger para utilizar o chat na rede social. Quem disser não, será proibido de enviar mensagens privadas pelo aplicativo. Mas, caso você não esteja disposto a tal, pode recorrer ao navegador.

► Assista ao trailer da 5ª temporada de Game of Thrones

Seja qual for seu browser preferido para smartphone, é possível usá-lo para esta finalidade. Basta visitar o site da rede social, inserir seu nome de usuário e senha. Pronto! A comunicação está mantida sem a necessidade do download extra. Além disso, para facilitar o acesso, é possível transformar a tela de mensagens do Facebook em um "favorito",  adicionando-a à tela inicial. O visual da página - baseado em um design antigo - não é tão bonito quanto o do app, mas tem a vantagem de gastar menos bateria do que manter um app conectado constantemente, além de economizar espaço na memória. Polêmica Para informar as pessoas interessadas em baixar o aplicativo Messenger, o Olhar Digital listou recentemente 10 termos de uso alarmantes do aplicativo Messenger. Vale notar, entretanto, que o serviço não é o único a solicitar permissões invasivas. Confira:

► Intel culpa teimosia com Windows XP por resultados fracos

  • Permissão para alterar o estado de conectividade de rede;
  • Permissão para fazer ligações sem intervenção do usuário, possivelmente causando cobranças adicionais sem necessidade de confirmação;
  • Permissão para envio de mensagens SMS sem necessidade de intervenção ou confirmação;
  • Permissão para gravação de áudio com o microfone do celular sem confirmação do usuário;
  • Permissão de uso da câmera para fazer fotos e vídeos sem a confirmação do usuário;
  • Permissão para leitura do histórico de chamadas. Estes dados são apenas salvos, mas outros apps maliciosos podem compartilhar estas informações sem conhecimento do usuário;
  • Permissão para ler dados sobre contatos do usuário armazenados no telefone, para ver com que frequência você se comunica com um indivíduo em específico por telefone, e-mail ou outras formas de contato;
  • Permissão para identificar o usuário pelas informações guardadas no celular, com nome e informações de contato. Estes dados podem ser enviados para terceiros;
  • Permissão para acessar recursos de identificação do celular, possibilitando o reconhecimento até mesmo o número telefônico do usuário;
  • Permissão para receber uma lista de contas conhecidas no telefone, incluindo quaisquer apps instalados no aparelho.

Via: Olhar Digital

► Novo cabo USB mais potente encaixa dos dois lados

► Orkut guarda memória dos brasileiros nas redes sociais

► WhatsApp libera novo pacote de convites para função de chamadas por voz

Veja também:



Intel culpa teimosia com Windows XP por resultados fracos

Veja +

LG vai lançar monitor para jogos ultrawide de 34 polegadas com AMD Freesync na CES 2015

Veja +

Governo oferece 30 cursos de TI gratuitos

Veja +

O que é neutralidade da rede e como o fim dela pode te prejudicar

Veja +

 

copyright ©2012 - 2019 JM Jonathan Moreira - Todos os direitos reservados